iZettle: Empresa Suíça Lança Serviços de Pagamento via Celular no Brasil

Fincar bandeira no segundo maior mercado do mundo em cartão de crédito e um dos líderes de vendas de celulares. Estão aí os dois argumentos que incentivaram a suíça iZettle a escolher o Brasil para começar a oferecer a sua solução de pagamentos móveis. A empresa suíça foi fundada em 2010, passou por rápida fase de expansão e hoje está presente em mercados como o da Dinamarca, Finlândia, Alemanha, Espanha, Reino Unido e México.

Na semana passada, estreou oficialmente no País e terá uma operação comercial na cidade de São Paulo com um serviço diferenciado. Por meio de leitores de cartão nos modelos Chip&Assinatura e Chip&Senha, comerciantes, taxistas, manicures e outros micro e pequenos empresários poderão aceitar pagamentos em cartão de crédito e débito em seus celulares ou tablets.

As soluções estão disponíveis no site www.izettle.com.br. Lá, o usuário faz o seu cadastro e baixa o aplicativo – disponível no Brasil para download gratuito na Apple Store e na Google Play – diretamente no smartphone ou tablet.

O leitor, que custa R$ 99,00, é acoplado no espaço geralmente destinado ao fone de ouvido nos dispositivos móveis. “Queremos democratizar os pagamentos e fazer com que ninguém perca venda por não trabalhar com cartão de crédito”, comenta o CEO da iZettle no Brasil, Anders Norinder.

A iZettle vai disponibilizar o leitor gratuitamente para os primeiros 10 mil cadastrados no site. Os clientes que optarem por ter o valor de suas vendas depositados em uma conta-corrente do banco Santander receberão de volta 50% do que for pago pelo dispositivo após realizarem a primeira transação. O banco é parceiro da empresa em diversos países e, no Brasil, será o responsável pelo processamento das operações.

Como esse tipo de transação precisa da aprovação de um sistema de cartão de crédito, a empresa tem parceria com a Visa e Mastercard. O usuário paga 5,75% do valor por transação e recebe o valor em até cinco dias. “As outras soluções pagam apenas depois de 30 dias, o que cria uma dificuldade para negócios de menor porte que não têm muito fluxo de caixa”, observa Norinder.

Segundo o executivo, a solução da empresa traz alguns diferenciais importantes em relação a outras tecnologias para meios de pagamento no País. Uma delas é o fato de funcionar com chip e não tarja magnética. “É muito mais seguro”, garante.

A outra inovação é a presença de uma espécie de CRM embutido, que permite aos usuários saber detalhes sobre as compras de produtos e serviços realizados por seus clientes – e assim criar estratégias para retenção e fidelização desses consumidores.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.